Archive for May, 2010

31
May
10

KARMA SONAM GYALPO

bom dia,

eu sou um budista atípico para o ocidental desavisado. e para o oriental avisado também.

para o ocidental. eu não sou calmo e sereno o tempo todo. eu não sou vegetariano. eu sou bem pessimista e esquisito.
mas este é o budista tradicional para voce. existe um preconceito criado por pessoas como a madonna sobre como a busca espiritual deve parecer, mas a realidade é que não existe só um formato pra isso. o budismo inclusive diz, que não importa o motivo que você pratica, é só praticar. uma pessoa pode fazer praticas pra que uma pedra caia na cabeça do coleguinha, mas o próprio ato de meditar corretamente os procedimentos que o fariam tão poderoso espiritualmente ao ponto de machucar uma pessoa só pelo fato de desejar assim, o levaria a enxergar a futilidade de desejar o mal a alguém. por isso pratique, não importam os motivos.

e é nisso que o oriental me vê como um budista atípico. fazem anos que eu não ao templo praticar… e nisso eles tem razão de me estranhar. eu sou um tremendo de um vagabundo!

para saber mais.

obrigado pela visita.

Advertisements
26
May
10

AKIRA

bom dia,

ultimo dos meus filmes preferidos. era pra essa ser a melhor ilustração, acabou sendo a mais fraca. fiz várias portanto. eu quis fazer uma ilustração menos no meu estilo durão, mais dinânica, por que esse filme é ação e eu queria manter o clima. mas não consegui. enfim. é mais uma coisa a ser estudada.

eu assisti esse filme pela primeira vez aos 13 anos.  e chorei.
imediatamente eu peguei o videocassete do meu vizinho, liguei ao meu e fiz minha primeira cópia da fita. daquele ano até eu comprar a cópia que havia numa locadora do meu bairro eu devo ter assistido ao filme umas 50 vezes. minha cópia pirata era em japones, a da locadora era em portugues e eu acho que por isso eu passei a assitir o filme cada vez menos até chegar ao numero de hoje, que é pelo menos 1 vez por ano.

eu choro todas as vezes que vejo esse filme e penso: “esse é o tipo da coisa que depois que o cara faz pode morrer tranquilamente”.
ainda não vi esse ano, mas sei que vou chorar.

obrigado pela visita.

18
May
10

EVIL DEAD

” eis que deverá ser julgado como débil todo aquele que se revele incapaz de apreciar os frutos do macabro, da morbidez e do terror.
(…)este não possui bom senso em seu corpo e não merece sombra do meu respeito.”

(daniel og)

bom dia,

eu podia ter escolhido um monte de filmes pra ocupar essa posição na lista e ao mesmo tempo não poderia ter escolhido nenhum outro.
é um filme que dá medo e diverte muito. não preciso defender minha escolha, se você gosta de terror pelo menos vai admitir que esse filme reúne TODOS os atributos de um bom filme sem forçar a barra.
evil dead tem tudo que interessa: zumbis. possessão demoníaca. uma cabana solitária na floresta. árvores estupradoras. mão endemoninhada. serra elétrica. viajem no tempo. lovecraft. um herói canastrão (que vai duas vezes na mesma cabana maldita, sendo que na segunda vez é pra um fim de semana romantico!!!). ilustrações de divulgação estilo conan. TUDO!

eu fico feliz de ter posto esse filme na minha lista e não ter escolhido um filme tipo “a hora do lobo”ou “o iluminado” por que poderia ter dado a impressão de que eu acho que filme bom tem que ser pesado, profundo, poético e com pessoas falando expressões que não funcionam na vida real… eu não acredito nisso. tenho até pensado muito na produção cinematográfica recente e sei que exagerei um pouco no ultimo post. SIM. HOJE EM DIA EXITEM MUITOS FILMES BONS E NO FUTURO EU FALAREI DISSO. OK?!
mas… a maior parte dos filmes de hoje é lixo. MENOS O TERROR!

o terror anda em seu melhor momento, por sinal. de improviso eu faço uma lista sólida:
“extermínio”, “abismo do medo”, “o sinal”, “deixe ela entrar”, “the host”, “o nevoeiro”, “anticristo”, “os estranhos”, “planeta terror”, e inclusive outro do sam raimi que mostrou que ainda sabe o que está fazendo “arraste-me para o inferno”.
remakes são patéticos. não valem. o novo do scorcese eu ainda não vi, mas me parece só a tentativa de um penetra popular de se disfarçar pra entrar numa festa de nerds pra pegar nossas meninas que ficam mais gatinhas a cada dia….

enfim: VIVA O TERROR, MINHA GENTE!!!!!

obrigado pela visita.

10
May
10

2001

bom dia,

esse é meu verdadeiro filme preferido. não só pelo filme, que já é motivo o bastante, não só pelo kubrick que eu admiro violentamente, mas pelo que esse filme representa pra mim.
me lembro claramente da mãe de um amigo explicando pra mim: “o bloco preto é um símbolo pra evolução…” e o marido dela discordando “não seja tão literalista”, e eu pensando “aquela porra pode ser mais que um bloco preto de pedra?!”
e da próxima vez que eu vi o filme eu entendi que era possível dizer coisas usando outras imagens, outras palavras… e esse dia mudou o jeito que eu assistia filmes, mudou um pouco minha vida.

eu penso muito no que os filmes “daquela época” (50 ao final de 70) representam e como tinham gênios no cinema. vivos. ao mesmo tempo. kubrick, woody allen, bergman, tarkovski, mojica, felini, ozu, bruce lee… e hoje não tem.
eu penso no motivo disso.
é por que o mundo tá mais mongol? é pela iminencia da era de aquárius naquele povo? falta de tempo, a pressa do mundo contemporãneo? falta de financiamento?…
não. não deve ser.

deve ser o seguinte. e se eu estiver viajando muito me diga:

na época desses caras o cinema estava jovem. tinham poucas gerações de cineastas anteriores. umas 2 até chegar no murnau, eisenstein e chaplin, sei lá (perdoem a precisão histórica dessa minha conclusão precipitada e empirica. isso aqui é um blog, porra)…
enfim. não tinha muita referencia de certo e errado e fazia parte da necessidade ao fazer um filme experimentar de vez em quando. até no cinema comercial tinha experimentação, por volta do século passado.

ingenuidade. eu acho que é isso.

hoje os cineastas tem conhecimento demais. referencia demais de certo e errado. os bons diretores são técnicos demais. os melhores no máximo tentam fingir essa ingenuidade.

é isso. pra voltar a ter gênios, precisamos emburrecer!
e claro. hoje em dia só tem veado.

obrigado pela visita.

06
May
10

GRITOS E SUSSURROS

bom dia,

seguindo com a minha lista. ela vai se tornar extremamente nerd logo após este post. acho que eu botei o stalker primeiro só pra disfarçar isso, mas eu quero que a impressão de adolescente que descobre o cinema de gente grande passe logo. então deixo para o começo os dois mais dramáticos (apesar de que o primeiro era uma ficção científica, logo…).

o gritos e sussurros é um filme dramático. é o unico drama puro na minha lista. “por que, sr. dog?”você me pergunta. eu respondo: por que o filme é lindo.
eu fiquei até na dúvida se não botava aqui o “A HORA DO LOBO” que é um filme de terror do bergman (sim… terror do bergman) e também é maravilhoso. mas esse foi o filme que mais me impressiou. são 3 filmes nessa lista que eu considero mais que filmes, as exceções são “akira” e “evil dead” que servem ao papel de filmes para mim, com um aproveitamento maior gerado por memória afetiva* e blablablá. mas este, “GRITOS E SUSSURROS” principalmente, e acima de todos os outros, é uma experiencia.

é um filme que fala através do silencio*.
tem uma sensação de silêncio enorme no filme. o tempo todo você reconhece sentimentos muito sutis, muito pessoais, emoções que voce achava que conhecia a seu respeito e das pessoas que te cercam muito próximas e mais ninguém. dores relacionadas diretamente a atitudes, à presença e ausencia de pessoas amadas*, vitórias e derrotas invisíveis que ninguém fala a respeito mas todo mundo sabe exatamente quem venceu e quem perdeu. e tudo isso fica claro no filme, sem usar nenhum discurso, sem nenhum bate-boca estilo ratinho.

tem uma coisa com a câmera ( que eu acho que o wong kar-wai pegou daí pra usar no “amor a flor da pele” e apesar de genial não chegou perto), que ela confronta os personagens*. comprime aquelas mulheres contra a parede no momento de maior angústia individual, esperando, pressionando até a hora que elas não aguentam e se permitem desabar na solidão, no desespero ou na arrogancia e vaidade. é um confrontamento asfixiante*, a camera está quase presente como personagem, exigindo essa verdade*. e a gente esquece que quem está atrás dessa camera são atrizes e não pessoas de verdade. pessoas que você conhece profundamente bem. nós roubamos, com a permissão do diretor, a intimidade dessas personagens para nós.

coisa fina.

*(com expressões como essa eu vou acabar escrevendo pra veja-rio!!!).

obrigado pela visita.

04
May
10

STALKER

bom dia,

primeiro me desculpem pelos erros da ilustração, na imagem da menina ela usa um lenço na cabeça e são 3 copos, ao invés de um, mas quem se importa??

esse não é o primeiro nem o ultimo filme da lista, só postei primeiro por que foi o que eu revi ontem.

então. alguns filmes são mais do que o que a gente geralmente chama de filme. esse é um. alguns takes são sobrenaturais, começam e terminam de uma forma que parece que a camera atravessou mundos sem ser desligada e volta ao ponto de partida como se não fosse nada. ao mesmo tempo são takes simples, sem firulas, o cara só andou com a camera apontada pra um poça cheia de entulho, mas que falam quilos de coisas que eu estou tentando passar pro teclado aqui e nãoo to conseguindo de jeito nenhum…
outra coisa,  ele parece muito mais complicado do que é.  eu acho que entendi tudo e não fiz nenhum curso de filosofia pra isso.

o negócio do filme é a relação de 3 personagens com Deus. cada personagem emblematicamente tem uma visão sobre fé, racionalismo e desejo (no sentido de obter coisas, nao no de foder).  se eu explicar mais (acreditem, eu tentei) fica brega e idiota. vejam o filme.

só queria falar um pouco sobre o ultimo take que é lindo demais. não vou falar sobre o que se trata mas o que eu acho dele.
(nao que fizesse diferença… eu não sou um crítico de cinema definitivamente…),
você vê muito pouca gente com coragem de fazer um take daquele em um final tão cru como o que antecede o take. era muito mais fácil simplesmente ser ambíguo e deixar a questão de se a zona é real (ou um puteiro… hahaha a “zona”, entendeu?) ou só uma desculpa para o stalker se sentir importante, aberta à interpretação pessoal. mas ele não fez isso. foi macho e mostrou que a zona é real. devemos buscar manter uma pureza que não se pode exprimir ou justificar com lógica e com postura defensiva. a zona é um lugar para quem vai até ela por que quer ser parte dela de alguma forma. ou deveria ser assim. é o que eu acho que ele quis dizer.

filme lindo.  não fique achando que é uma merda por causa do meu texto não, tá…. hahahahha

obrigado pela visita.





%d bloggers like this: